texto

Faça as Pazes com a Balança!

Depois da série de posts gordofóbicos nas redes sociais durante o Natal, às vésperas da primeira segunda-feira do ano, começaram a pipocar na timeline memes sobre o medo de se pesar. Um deles dizia assim: “você aí tão feliz… já se pesou?”. Se eu tiver que responder sobre mim, não… não me pesei e nem me importei com isso! Comi tudo o que eu quis na ceia de Natal e estava uma delícia! No ano-novo também comi super bem: um bacalhau espetacular com um vinho branco dos deuses. Sobre a balança… apesar de não ter chegado perto dela, sei exatamente o que ela me diria: Tatiana, você continua gorda, poderosa, linda e maravilhosa!

maravilhosa1

É, eu fiz as pazes com a balança há um tempo. Entendo que nem todas as mulheres – sim, vou falar de mulheres porque sabemos que 99% dessas mensagens são para nós, nem adianta disfarçar! – tenham se empoderado, então faço questão de ajudar. Miga, entendo que você morra de medo de engordar. Fomos criadas num mundo que nos ensina o tempo todo a odiar os nossos corpos, um mundo que nos impõe um padrão de beleza completamente irreal. Entendo mesmo! E já fui como você. Já fui inclusive magra e mesmo assim eu só via defeitos no meu corpo. E é por isso que eu digo: a balança não precisa ser sua inimiga, você pode ser linda de qualquer jeito!

linda

Tá. Aí você me diz: Tati, não sou obrigada a ser gorda. E eu digo pra você: claro que não! Se você quer emagrecer, se você deseja realmente se manter magra, vai fundo! Se alimente bem, faça exercícios, coma batata doce com frango a semana inteira, o que você achar melhor. Mas não brigue com a balança! Ela não é a sua inimiga! Vou te dizer que esse tal de cálculo de IMC é caído e não diz nada sobre sua saúde, tá? Estou com obesidade grau I por esse cálculo e minhas taxas estão perfeitas. Mas aí você me diz que quer ser magra por estética mesmo, porque gosta e eu te digo: vai fundo, amiga! Mas não precisa ficar de paranóia, né? E nem postando esses memes que oprimem a sua amiga gorda, que talvez também queira ser magra como você, mas por qualquer motivo que desconhecemos (e não temos nada a ver com isso) não consegue. Vamos quebrar essa cultura da magreza, do padrão, do medo da balança! Talvez você tenha sim engordado 300 gramas… GET OVER IT!

getoverit

A minha proposta é: AME O SEU CORPO. Não vou brigar com você, não vou fazer a gorda militante raivosa, apesar de eu entender a raiva das pessoas que são oprimidas na sociedade. Mas eu tô tentando aqui ser zen. Bebendo vinho ou meditando, estou me amando. E queria muito que você se amasse também. Vamos ser realistas… já participei das reuniões dos Vigilantes do Peso e tinha o hábito de me pesar toda semana. Vamos combinar que 15 dias chutando o balde geral não faz a gente engordar mais do que 3 quilos. Nunca aconteceu comigo, tenho certeza de que não aconteceu com você também. Então relaxa, miga! Seja feliz! Gorda ou magra. Agora me abraça. E deixa essa neura pra lá. Amo você! Faça o favor de se amar também.

amovc

5 MOTIVOS PARA USAR A PALAVRA GRATIDÃO

1. QUANDO NOS SENTIMOS GRATOS, MAIS COISAS BOAS ACONTECEM.

Muitas vezes, quando as coisas não andam bem na nossa vida, focamos a nossa atenção no que está dando errado e esquecemos de agradecer por todas as coisas boas que estão dando certo. Mesmo que você esteja vivendo um momento extremamente difícil, experimente fazer uma lista das coisas que você tem pra agradecer e vai perceber que são muitas! Então, foca a sua energia na gratidão que os problemas aos poucos se dissolvem naturalmente.

2. É MELHOR SE SENTIR GRATO DO QUE SER OBRIGADO

A palavra “obrigado” tem um significado em latim semelhante a “obrigar” ou “amarrar”. Logo, quando você diz obrigado, está dizendo ao outro que está em dívida ou “fico-lhe obrigado”. Já a palavra “gratidão” expressa que você está de fato agradecido. É muito mais bonito!

3. VIROU MODINHA. E DAÍ?

Algumas pessoas implicam com a palavra “gratidão” por ela estar sendo bastante usada em hashtags nas redes sociais. Ora, mas qual o problema? Que mais coisas boas possam virar modinha!

4. AGRADEÇA ATÉ O QUE NÃO DEU CERTO

Pode parecer estranho, mas quando agradecemos o que não deu certo na nossa vida, abrimos as portas do nosso crescimento espiritual. E quem disse que o que achamos que é “certo” agora é o melhor pra gente? Muitas vezes quando algo dá “errado”, ou seja, quando algo não sai do jeito que esperávamos, ficamos decepcionados e caímos na lamentação. Quando isso acontecer, lembre-se: o Universo é muito mais sábio que você. Olhe para trás e perceba que as coisas que deram “errado” no passado fizeram com que outras coisas maravilhosas surgissem. Sim, sempre que recebemos um NÃO na vida: de um parceiro amoroso, uma empresa ou oportunidade, estamos na verdade recebendo um lindo SIM do Universo, que trabalha sempre ao nosso favor e tem pra nos dar muito mais do que a nossa cabecinha preocupada espera. Portanto, sinta gratidão até pelos seus problemas e a solução vai aparecer de onde você menos imagina!

5. VOCÊ PODE TRANSFORMAR A SUA VIDA

Um hábito muito poderoso que você pode criar a partir de agora é agradecer todas as noites pelas coisas boas que aconteceram no seu dia. Você pode escrever uma lista ou visualizar mentalmente tudo o que tem pra agradecer no dia que se passou. Mesmo que o seu dia tenha sido péssimo, tire o foco dos problemas e das reclamações e coloque o foco na gratidão. Criar esse hábito pode transformar completamente a sua vida. Experimente!

gratidao

Sobre Selfies e Nudes

Sabe aquele dia que você está andando na rua, se sentindo um lixo? Aquele dia que você reza pra não esbarrar com o crush e, se vê de longe um date em potencial, corre pra se esconder atrás do poste? Já aconteceu com você de, nesse mesmo dia, ao passar por um espelho e se deparar com uma mulher bonita, pensar: ôpa, sou eu? Comigo já aconteceu mais de uma vez. E eu acredito que esse sentimento constante de se sentir mal com a nossa imagem, vai muito além de um bad hair day, por exemplo. Somos bombardeadas o tempo inteiro com imagens de mulheres irreais e acabamos com esse sentimento de pouco valor, de inadequação, é mais do que natural se sentir assim. Mas depois de reconhecer que nos sentimos dessa forma e que é mais do que natural, de acordo com as circustâncias, que tal tomar o poder de volta para si? Que tal se empoderar? A selfie faz isso.

Num mundo que nos diz que devemos ser brancas, magras, jovens, e de cabelo liso, postar uma selfie sua e mostrar que, apesar de você estar completamente fora desse padrão, você EXISTE e SIM é LINDA pode ser revolucionário, não é mesmo?

Eu fui magra até os vinte e poucos anos. E eu me odiava. Me achava feia, inadequada e até gorda, quando engordava 3 quilos. Fiz todo o tipo de dieta maluca possível, tomei remédios para emagrecer… e eu era magra. Hoje estou gorda. E penso em emagrecer sim, mas amando o meu corpo e não mais me maltratando como antes. Foi preciso eu engordar algo em torno de 40 quilos para eu olhar no espelho e dizer: chega! Agora eu vou me amar sim. Dane-se o padrão! Eu sou linda como sou. Não há como não ser porque eu me amo e pronto. Eu sou amor.

Eu vejo amigas lindas encucando com dobrinhas. Dobrinhas! Existe algo mais sexy que dobrinhas? Conheço mulheres lindas de 30 e poucos anos que já aplicam botox no rosto. Eu não consigo entender… esse medo de envelhecer e de engordar que aprisiona e maltrata. Eu me liberto desse medo, eu me entrego e eu me amo como eu estou AGORA. Porque só existe o agora. E se eu tiver que emagrecer alguns quilos, vai ser por mim e não pra me encaixar em algum padrão. E vou amar cada pedaço do meu corpo, cada ruga, cada dobrinha, cada celulite e cada estria como se fosse o meu bem mais precioso.

12080070_1684907341745324_631177755334314376_o

E por isso farei selfies. E mandarei nudes.
Ame o seu corpo!

O dia em que fiz as pazes com a minha médica

Depois de uma longa temporada morando em São Paulo, voltei correndo para a minha ginecologista querida que cuida de mim desde que perdi a virgindade, ou seja, há MUITO tempo! Hehehehehe… Nossa, lembro até hoje desse dia em que eu me senti a mulher mais descolada do mundo e decidi contar pra minha mãe numa tacada só: sobre sexo e cigarros. Foi assim, bem rápido, tipo tirando um band-aid mesmo. Lembro que me inspirei naquele filme dos anos 80, acho que era A Garota de Rosa-Shocking, naquela cena do jantar que ela vira para o pai e fala “Tô grávida, passa o nabo”, ou coisa parecida.

rosa-shocking
Foi assim:

– Mãe, perdi a virgindade.

– O QUÊ???

– Passa um cigarro, por favor?

– Mas, mas, mas…

– Não se preocupe, eu já fui na ginecologista e já estou tomando pílula

– Tá bom, mas se for fumar, tem que aprender a segurar esse cigarro aí direito.

FIM.

Voltando à ginecologista…

Ela ficou feliz em me ver e foi logo perguntando sobre as novidades. Casou? Teve filhos? Ok, ter filhos é uma informação importante a ser compartilhada com a minha ginecologista. Mas casamento? Respondi tranquilamente, que é a forma que eu respondo a esse tipo de pergunta sempre: não. [insira aqui um sorriso sincero] Foi um não suave, natural e espontâneo. Mas a reação dela foi de espanto e constrangimento.

Fiquei ali sentada na cadeira, encarando a médica com o meu melhor sorriso. O constrangimento dela era tão explícito… na certa ela pensou ter cometido a gafe do ano em seu consultório. Fiquei pensando ali porque seria tão terrível eu não estar casada e com filhos. Eu morei 5 anos numa cidade incrível, num trabalho que eu amava, conheci várias pessoas legais e aprendi tanto com elas, fui a festas de arromba, cresci profissionalmente, conquistei a minha independência financeira e estava muito feliz morando sozinha num apê aconhegante com meus instrumentos musicais e meus gatinhos. Por que eu precisava me sentir menos realizada do que as grávidas de 25 anos do consultório? Me poupe.

Aí eu comecei a ficar com raiva. Eu senti tanta raiva daquele julgamento que saí do consultório e levei meses pra fazer os exames. Depois levei meses para buscar os exames, que já tinham ido parar numa salinha distante onde ficam os exames abandonados. E depois, levei 3 anos para voltar no consultório com os exames. 3 anos, ontem me dei conta.

A médica sorriu, fez piada com meu sumiço e me recebeu bem, como de costume. E me fez novamente a pergunta. Casou? Teve filhos? Claro. Se em 5 anos em São Paulo eu não casei e nem tive filhos, agora era a hora. 3 anos e a mesma pergunta. Mas dessa vez eu não ia nem ficar calada e nem ia sentir raiva, prometi pra mim mesma. Eu olhei pra ela e falei com muita alegria: não! Não quero ter filhos. Ela sorriu e não ficou constrangida. Achei estranho e saí falando: Tô ótima assim, moro sozinha, adoro minha casa… um namoradinho eu até quero, mas filhos não e casar também não. E aí o papo entrou numa vibe bem diferente do que há 3 anos. Começamos a papear sobre a vida, sobre as mulheres e sobre liberdade. Será que eu consegui desconstruir um pouco aquela ideia que ela tinha de realização com casamento e filhos? Consegui isso sem sentir raiva, sem tretar, sem falar umas boas verdades na cara… eu desconstruí a médica apenas com o exemplo do meu bem estar, do meu jeito, no meu estilo. Eu estou bem e isso basta, esta é a minha escolha agora. Pode ser que eu mude de ideia? Pode ser. Mas também pode ser que não, e aí? Não sou menos mulher por isso. E ela sabe muito bem, afinal, está me vendo feliz e cheia de energia.

Ainda completei dizendo que sou tia de uma menina linda de 7 anos. E que o mito de “ficar pra titia” na verdade é a coisa mais gostosa do mundo. Sou livre, leve, solta, solteira, linda, tenho meu cantinho, onde me inspiro, descanso, vivo, brinco com a minha pequena e tudo pode acontecer. E vou me sentir assim mesmo que eu não esteja mais em idade fértil, mesmo que eu esteja “velha” né, essa idade obscena.

Claro que ela não se desconstruiu por completo e precisou mandar uma frase de efeito no final:

– Tatiana, quero ver você mais magra.

E eu pensei:

– Quero te ver ruiva! É pra chutar algo que você quer ver na pessoa?

Ela completou:

– Vamos levantar essa autoestima.

E aí eu pude responder:

– Minha autoestima nunca esteve tão elevada! Me sinto cada dia melhor. A maturidade é maravilhosa.

Ela como mulher gorda e madura sorriu. Acho que gostou de ouvir aquilo. Com certeza serviu pra ela. E isso me fez tão feliz!
A cada dia que desconstruo uma ideia retrógrada ou faço alguém repensar um padrão eu me sinto vitoriosa.
Quer saber? Existem várias maneiras de ser mãe. E talvez esta seja a minha.

Love and Peace

Seja Saudável: Pense Positivo

“O nosso corpo é um instrumento para o crescimento e cura espiritual. O nosso corpo nos reconecta com a nossa verdadeira essência, que é o amor.” (Gabrielle Bernstein – May Cause Miracles)

gz

Você acha que sabe da saúde de uma pessoa só de olhar para o corpo dela? Você se preocupa apenas com a saúde das pessoas gordas? Você acha que estar gordo é estar doente? Você está mesmo preocupado ou está sendo preconceituoso? Vamos refletir?

gifrae_gordaezen

Sabemos que existem pessoas gordas e magras com problemas de saúde. Sabemos também que existem pessoas gordas e magras completamente saudáveis. Por que essa fiscalização constante sobre os corpos gordos? Principalmente das mulheres? A fiscalização do corpo gordo, o preconceito disfarçado de preocupação com a saúde da pessoa gorda está criando mais doenças do que a obesidade em si.

littlemiss_gz

O que você acha que passa pela cabeça de uma pessoa gorda quando ela escuta constantemente que precisa emagrecer? Que precisa ser algo diferente do que ela é? O que você acha que ela sente quando vai ao cinema e as cadeiras são mais estreitas do que o seu quadril? Ou quando ela não consegue ficar feliz ao comprar a passagem da viagem dos seus sonhos porque é tomada pela ansiedade de saber se vai ou não caber na cadeira do avião? E quando ela fica presa na roleta do ônibus e vira motivo de chacota? O que você acha que a mulher gorda sente quando entra numa loja e nenhuma roupa cabe nela? Ou quando abre uma revista e não se vê representada por nenhuma mulher em nenhuma foto? O que você acha que ela sente quando liga a televisão e não vê nenhuma mulher gorda apresentando um programa, fazendo uma reportagem ou numa cena de novela ou filme que não seja um papel cômico ou humilhante?

Ser gorda é literalmente NÃO CABER no mundo.

E se o mundo está tão preocupado com a saúde da pessoa gorda, porque ela não cabe nesse mundo?

Se ser gordo é estar doente, por que as pessoas não são mais gentis com quem está “acima” desse peso aí que vocês decidiram ser o “ideal”? Normalmente somos gentis com pessoas doentes, né? Mas com gordos… as pessoas que acreditam que ser gordo é estar doente não medem esforços para agredir a pessoa gorda. Dizem que são preguiçosos, indolentes, pessoas sem vergonha na cara e por aí vai.

Ser gorda num mundo que não te cabe e ouvir apenas coisas negativas a seu respeito e a respeito do seu corpo é estar mesmo predisposta a doenças. Ao ouvir os comentários destrutivos sobre o seu próprio corpo, a pessoa gorda desenvolve uma repulsa a si mesma e ao seu corpo e esse sentimento negativo pode ser um milhão de vezes mais nocivo do que um almoço fast food, por exemplo.

gz_fries

Sim. Os nossos pensamentos criam as nossas palavras. As nossas palavras criam as nossas ações. E as nossas ações criam o nosso destino.

Todos sabemos que excesso de comida, álcool e drogas em geral pode danificar o nosso corpo. Mas nunca lembramos dos pensamentos. Pensamentos tóxicos podem afetar a nossa saúde e criar doenças no nosso corpo, tanto quanto o que comemos, bebemos ou ingerimos. Precisamos ficar atentos em como os nossos pensamentos afetam o nosso corpo. De nada adianta fazer dietas e continuar se odiando, sentindo raiva do seu corpo ou tentar mudá-lo à força. Você pode preparar um lindo prato de salada, mas se continuar com raiva da sua barriga, de si mesma ou dos outros, você não vai estar saudável! Você pode até conseguir emagrecer, se este é o seu objetivo, mas enquanto não conseguir amar o seu corpo, continuará vulnerável a todos os tipos de enfermidades.

Quando você muda a sua percepção sobre o seu corpo, o seu corpo muda!

Não gaste energia sentindo raiva de quem te “xingou” de gorda. Em vez disso, ressignifique a palavra. Lembre-se que GORDA não é xingamento. É natural sentir raiva de quem oprime a gente, eu te entendo, mas a partir do momento que você toma consciência de que os seus pensamentos afetam a saúde do seu corpo mais do que uma porção gordurosa de batatas fritas, fica mais fácil mudar o que você pensa. Sim, é possível escolher o que vamos pensar. Treine, exercite o seu pensamento e verá que é possível!

Uma das maneiras mais fáceis de se conseguir controlar os nossos pensamentos é meditar. A meditação funciona no nosso cérebro como o reboot funciona para o seu computador. É como reiniciar a máquina, limpar os cookies! Ao meditar todos os dias, você fica mais consciente do que pensa, do que fala, consequentemente de como age e o resultado é muita mudança na sua vida. A minha dica é: tenha consistência! Mais vale meditar 1 minuto por dia do que 1 hora de vez em quando. Experimenta e depois me conta!

gz-medita

Ao mudar os seus pensamentos sobre a pessoa que te ofendeu, você vai sentir a raiva se dissolver e o seu amor próprio crescer ainda mais. Se você escolher pensar que essa pessoa ainda não consegue se amar ou ainda não se libertou dos padrões impostos pela sociedade, vai chegar um momento em que você pode até sentir uma compaixão por essa pessoa e até ter vontade de ajudá-la. Você pode lembrar que já pensou como ela um tempo atrás ou que também já ofendeu outras pessoas em um outro contexto. Nesse momento você percebe que somos todos um. E isso é AMOR.

raefeliz

Ame o seu corpo. Não seja um fiscal do corpo alheio. Medite. Dissolva a sua raiva. Mesmo que você tenha razão… desapegue-se! Escolha ser feliz. Ninguém é capaz de ofender você se você não permitir. Pensamento positivo sempre. Pensar positivo é ser saudável. Namastê.